sexta-feira, 6 de novembro de 2009

Logistica de ponta.

A Logística de Ponta:

Em um mundo cada vez mais globalizado e sem fronteiras, encontrar um diferencial competitivo se torna cada vez mais necessário para a sobrevivência das empresas no mundo todo. A integração dos diversos setores da empresa e o pensamento comum na redução de custos, qualidade de produção e fluxo rápido de informações, vem levando grandes empresas para esse novo mundo chamado logística. Empresas de ponta vêm investindo em logística. Um dos grandes diferenciais competitivos é justamente o controle de custos. Essa vantagem é obtida através de uma boa administração logística que engloba uma planta (fábrica) de produção compacta, estoques reduzidos, número de produtos adequados com o objetivo de atender às vendas e obter economia de escala e centralização da compra de matéria prima. Com esse esforço produtivo, as empresas de ponta podem oferecer um produto ou serviço de melhor qualidade e preço para o cliente, obtendo grande vantagem competitiva contra seus concorrentes.
As empresas de ponta utilizam-se da logística como uma ferramenta multifuncional, atuando nas áreas de marketing, qualidade, finanças, planejamento, produção, armazenagem, distribuição, transporte, etc., contribuindo muito para uma gestão eficiente.
Na área de Marketing, a logística aparece focada nos produtos ofertados, formação de preços, modos de distribuição e prazos de entrega. Em Finanças; na necessidade de giro do estoque e políticas de investimento. No Controle da Produção; em orçamentos, planejamentos dos custos de revenda, quadros demonstrativos e em todos os níveis produtivos. Na Gestão de RH; em políticas de recrutamento e formação de pessoal.
Mais do que um conceito operacional, a logística é hoje um conceito estratégico e um mecanismo de concorrência frente ao mercado global.
A logística deixou de ser um mito e passou a ser uma grande fonte de competitividade.
As tendências apresentadas pelas empresas de ponta em logística podem ser resumidas da seguinte maneira:
• Centralização.
• Diminuição da quantidade de CDs.
• Uso de instalações intermediárias de quebra-carga.
• Uso da técnica de cross-docking.
• Operação de distribuição sem estocagem.
• Transporte multimodal e intermodal.
• Terceirização – uso de operadores logísticos.
• Estratégias conjuntas de componentes da cadeia para melhorar a eficiência.
• Uso intensivo de TIs:
**GIS – (Geographycal Information System) sistema de informações geográficas digitalizadas.
**Roterizadores – defimen as melhores rotas para entregas.
**MRP (Manufacturing Resource Planning) planejamento de recursos de manufatura (matéria prima).
**ERP (Enterprise Resource Planning) gestão empresarial integrada.
**EDI (Eletronic Data Interchange) troca eletrônica de dados entre componentes da cadeia produtiva.
**Simuladores e Previsões de vendas.

Como exemplo de empresa com logística de ponta: MAC DONALD’S.

A MC DONALD’S pode ser considerada a maior cadeia de lojas tipo “fast food” presente no Brasil, atuando em todas as regiões do país.
O processo logístico do MAC DONALD’S é bastante eficiente e condizente com as diversas tendências da logística no Brasil e no mundo.
As principais características desse processo logístico são as seguintes:
• Uso de, praticamente um operador logístico; a MARTIN BROWER, empresa que faz a logística em todos os setores, da MAC DONALD’S em 50% das lojas da rede nos EUA. Este operador é responsável pela entrega de quase todos os insumos, exceto refrigerantes, cuja entrega é feita totalmente pelos representantes dos fabricantes.
• CDs estão localizados em São Paulo (“Food Town”). Rio de Janeiro, Curitiba e Recife, sendo o de São Paulo o que mantêm o estoque central do sistema, estando localizado próximo ao maior mercado aos principais fornecedores de pão e carne.
• Os CDs possuem estrutura mínima de administração e estoques. No Brasil, o estoque médio do sistema é de apenas seis (6) dias.
• Utiliza a técnica do cross-docking no Rio de Janeiro e Curitiba, principalmente com os fornecedores de hamburguês.
• Os caminhões possuem palm-tops, através dos quais são fornecidas informações sobre as entregas efetuadas e a performance da viagem.

Um estudo elaborado na América do Norte para o Council of Logistics Management, procurou identificar as características das companhias que possuíam a liderança em logística.


Essas características são:
• Demonstram um profundo comprometimento com os clientes.
• Enfatizam o planejamento.
• Fazem alianças externas com fornecedores de serviços.
• Possuem um processo logístico altamente formalizado.
• Incentivam a flexibilidade operacional.
• Empregam medições de desempenho de grande alcance.
• Investem na tecnologia de informações.
É evidente que para alcançar sucesso em todas as áreas é necessário fazer mudanças significativas dentro da companhia. Essas mudanças podem ser resumidas, evidenciando cinco áreas importantes:
• De funções para processos.
• De lucro para lucratividade.
• De produtos para clientes.
• De transações para relacionamentos.
• De estoques para informações.
1. De Funções para Processos:- o gerenciamento passa a ser um sistema integrado, derrubando a idéia clássica de gerenciamento funcional. (TRADE-OFFs).
2. De Lucro para Lucratividade:- controle dos recursos e custos na busca de um melhor retorno sobre investimentos.
3. De Produtos para Clientes:- a satisfação do cliente passa a ser o objetivo primordial de todas as atividades da empresa.
4. De Transações para Relacionamentos:- manter parcerias de longo prazo com fornecedores e clientes enfatizando o estabelecimento de relacionamentos de longa duração através do serviço e qualidade.
5. De Estoques para Informações:- a redução das necessidades de estoques com a implantação e incremento das tecnologias de informação.

















“O desenvolvimento de uma estratégia logística envolve a integração das dez áreas chave”. (Martin Christopher).























Apostila elaborada pela Profa. Letícia – 2008
Bibliografia:

Bibliografia:
• Martin Christopher, Logística e Gerenciamento da Cadeia de Suprimento.
• Chopra-Meindl, Estratégias para Redução de Custos e Melhoria dos Serviços.
• Site: tigerlog-Consultoria e Treinamento em Logística
• Donato Vitório; Logística Verde, uma abordagem sócio-ambiental. RJ Ciência Moderna, 2008.
• Leite, Paulo Roberto; Logística Reversa: Meio ambiente e competitividade. SP Prentice Hall, 2003